Artigos do Prof. Marins e textos dos programas de TV

O desafio de enfrentar o inesperado

  • Imprimir

como-enfrentar-o-inesperado

Escrevo esta mensagem sob o impacto da notícia da morte de Eduardo Campos, candidato à presidência da república. Planos elaborados, projetos definidos, entrevistas marcadas, agenda lotada... tudo cessou nos segundos do acidente fatal. A grande verdade da vida é que tragédias acontecem e quando ocorrem sentimos com toda a força o peso de nossa pequenez.

 

É por esse sentimento de impotência que um dos temas mais recorrentes da mitologia, do teatro, da literatura, tanto na antiguidade como hoje é a tragédia. Aliás o termo tragédia vem do grego “tragodia” que significa uma peça de teatro cujo desfecho é sempre um acontecimento funesto. Assim, um dos maiores desafios do ser humano é enfrentar o inesperado, o imprevisto, a catástrofe, a tragédia. Guerras, terremotos, erupções vulcânicas, tornados e furacões, enchentes, secas, acidentes, epidemias... São milhões de pessoas que se veem de uma hora para outra desprovidas de chão, de segurança, de abrigo, de alimentação, de saúde. Estamos comemorando em 2014 os 100 anos da Primeira Grande Guerra (1914-1918) quando 19 milhões de pessoas (nove milhões de militares e dez milhões de civis) perderam a vida. Some-se a isso a gripe espanhola que matou 40 milhões de pessoas entre 1918-1919.

 

E o que fazer frente ao inesperado?

 

Filósofos, psicólogos, psicanalistas, psiquiatras e mesmo teólogos estudam e escrevem sobre esse desafio e, embora tenham visões diferentes sobre o tema, todos parecem concordar numa coisa: é preciso seguir em frente e buscar dentro e fora de nós as forças necessárias não para esquecer, mas para enfrentar a realidade pós-tragédia, seja ela qual for. Temos que não nos deixar imobilizar pelo inesperado. Temos que continuar o caminho, a luta. E temos que compreender que tragédias ocorrem e que ninguém delas estará livre e vida continua.

 

Assim, a mensagem é a de que ao mesmo tempo em que temos que enfrentar o inesperado quando ele ocorre e seguir em frente, temos que fazer tudo o que esteja ao nosso alcance para não facilitar a ocorrência de tragédias, muitas delas evitáveis se formos mais previdentes. Temos que fazer a nossa parte com toda a consciência para promover a segurança, a saúde e a paz em todos os ambientes. Temos que ser previdentes e usar toda a nossa inteligência e vontade para evitar tragédias evitáveis.

 

Pense nisso. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn