Artigos do Prof. Marins e textos dos programas de TV

Adoro a empresa, mas não suporto meu chefe

Adoro a empresa, mas não suporto meu chefe.

Por isso vou deixar meu emprego

 

Luiz Marins

 

A frase acima me foi dita por um colaborador  de uma empresa cliente durante uma entrevista de desligamento que fiz com ele, a pedido da diretoria.

O colaborador era tido como “imperdível” pelos diretores que foram surpreendidos por seu pedido de demissão. Daí a solicitação para que eu o entrevistasse.

Como afirma Victor Lipman em seu livro “The Type B Manager - Leading Successfully in a Type A World” - “Gerente Tipo B - Como liderar com sucesso num mundo tipo A”- (não traduzido para o Brasil até onde eu saiba), as pessoas não deixam suas empresas, mas sim seus gerentes. Lipman afirma que a relação entre gerentes e funcionários desempenha um papel crítico na produtividade e na retenção dos melhores talentos.

Outros fatores que fazem as pessoas deixar seus empregos são a falta de confiança na direção superior, a falta de orgulho em pertencer à empresa e a incerteza crônica resultante de constantes reorganizações, demissões e pressão exagerada por resultados a curto prazo. Muitos desses fatores,  denotam claramente sérios problemas de liderança. 

Em minha experiência como consultor, sinto dizer que ainda vejo pessoas despreparadas para assumir posições de liderança e empresas pouco interessadas em formar líderes com seriedade e constância.

Pessoas são colocadas em função de gerência e supervisão porque eram excelentes como executoras. Sem o necessário preparo esses novos chefes se sentem perdidos e acabam  desmotivando seus subordinados com sua falta de habilidade e conhecimento de como liderar pessoas, estabelecer objetivos e metas, reforçar e mesmo avaliar.

Na maioria das vezes a culpa não é das que foram promovidas, mas de quem as promoveu sem oferecer a necessária formação, acreditando que por terem sido boas executoras, essas pessoas naturalmente saberão liderar.

O problema é que sem formação para liderar pessoas, muitos chefes se sentem inseguros,  e daí se tornam autocráticos e isolados cometendo erros básicos que poderiam ser evitados pelo diálogo e por técnicas de como trabalhar e formar times vencedores.

Ninguém nasce líder, assim como ninguém nasce chefe. É preciso formar líderes verdadeiros que se comprometam com o sucesso de seus liderados.

Pense nisso. Sucesso!


PENSE NISSO:

  • wSua empresa tem um programa contínuo de formação de lideres? Se não tem, você procura essa formação por conta própria

    wSua empresa forma sucessores para as funções mais importantes, principalmente as de liderança em todos os níveis?

    wSua empresa incentiva a participação das lideranças em cursos, seminários, congressos, feiras do setor em que atua? Se não incentiva, você busca essa participação por conta própria?

    wSua empresa e você têm consciência da importância de verdadeiros líderes, que se desafiem para fazer seus liderados crescerem?

    wGerenciar pessoas é uma das mais difíceis tarefas da administração. Você procura se aperfeiçoar para ser um verdadeiro líder  de times de alta performance?

    wVocê acredita que as pessoas não deixam a empresa e sim seus chefes?

 

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais