Artigos do Professor Marins e textos discutidos nos Programas de TV

QUEM NÃO PODE GALOPAR, QUE TROTE!

QUEM NÃO PODE GALOPAR, QUE TROTE!

 

Luiz Marins

 

Qui ne peut galoper, qu'il trotte! (Quem não pode galopar, que trote).

Este ditado francês do Século 18 vale para os dias atuais. Se você não pode ir rápido, como gostaria, vá devagar, mas não fique parado. Esse é o sentido deste conselho.

Da mesma época há um ditado português que diz:

  • Quem não pode como quer, queira como pode.

E ainda um ditado inglês que afirma em relação às crianças:

  • Who has no horse, may ride on a staff - que numa tradução livre quer dizer: “criança que não tem cavalo, cavalga num cavalinho de pau.”

O que esses conselhos querem nos dizer é que não devemos ficar parados, esperando as condições ideais para agir.

Quem não pode fazer as coisas como deseja, faça como pode, mas aja! Faça alguma coisa!

Tenho visto, com surpresa, pessoas e empresas que estão se reinventando nestes tempos difíceis, fazendo aquilo que conseguem e podem para atender seus clientes, para continuar produzindo, para continuar ativas.

Ao mesmo tempo tenho visto, com tristeza, pessoas e empresas que se acomodaram no plano do choro, na reclamação, numa posição acusatória e inerte esperando a realidade mudar a seu favor.

Sei muito bem que não é fácil buscar uma saída, uma alternativa, uma porta em tempos de crise.

O que quero comentar aqui é que as pessoas que conseguiram encontrar uma porta foram aquelas que não ficaram com a ilusão de uma saída fácil ou mesmo igual à que tinham antes da crise. Elas não tiveram a ilusão de poder fazer as coisas como faziam antes. Elas souberam compreender a verdade de que agora nós não podemos fazer como queremos, mas como podemos, isto é, se não podemos galopar, pelo menos vamos tentar trotar, mas jamais ficar parados.

Pense em como você e sua empresa estão enfrentando esta crise. São poucos os setores e poucas as pessoas que estão em condições de galopar e a pergunta que sugiro que todos nós nos façamos é: será que poderemos ao menos trotar?

Pense nisso. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais