Artigos do Professor Marins e textos discutidos nos Programas de TV

CURTA O OUTONO COMO VOCÊ MERECE!

NÃO ME CANSO DE CURTIR O OUTONO

 

Luiz Marins

 

Muitas pessoas não curtem o Outono. Acham até uma Estação muito chata. Para mim, o Outono é cheio de simbolismos encantadores. Essa Estação de transição entre o verão e o inverno tem muito a nos dizer e a nos ensinar.

Seja pela mudança brusca nas condições climáticas com o gradual aumento do frio e a redução de chuvas no Sul e Sudeste, seja pelo aumento das chuvas no Norte e Nordeste, seja pela frutificação e queda das folhas de muitas espécies e árvores, seja pela intensa migração das aves, o Outono nos mostra a essência da necessária preparação para os tempos invernais, mais frios, mais chuvosos em algumas regiões mas sempre mais difíceis.

É sempre bom lembrar que o começo do outono no Hemisfério Sul e Primavera no Hemisfério Norte é marcado pelo exato instante que os raios solares incidem perpendicularmente à linha do Equador. Isso resulta em dias e noites com duração iguais, fenômeno que é chamado de equinócio.

Com ventos mais fortes e por causa da inclinação do eixo de rotação terrestre, a incidência dos raios solares é mais branda e a diminuição da quantidade de chuvas deixam o clima menos favorável para as plantas, fazendo com que muitas delas deixem cair suas folhas a fim de economizar a energia que gastariam produzindo clorofila.

O Outono, portanto é uma Estação complexa, com o começo e o fim bem distintos. No final de junho, quando a estação se despede, as noites são mais longas e as temperaturas são mais baixas e isso dá uma impressão de o sol estar “menos quente”, permitindo caminhadas de forma muito mais agradável.

Assim, com tanta transformação e instabilidade, o Outono vira um festival de cores: as folhas caídas se espalham pelo chão criando uma paisagem variada que se complementa com o céu e o nevoeiro das manhãs nas regiões mais frias. Fora tudo isso a luz solar colore o céu mesmo durante os primeiros e últimos minutos do dia.

O Outono é, portanto, um tempo de pensar, de cismar, de observar, de mudar e principalmente de nos prepararmos para os “invernos” da vida.

Assim, é o tempo de planejar. Como na fábula da cigarra e da formiga, quem não planejar no Outono, dançará no Inverno, com todo o simbolismo que aquela fábula e essas palavras podem nos oferecer.

Observe a natureza e nunca se esqueça que somos parte dela. Aproveite essa enigmática Estação que sequer seu nome tem origem definitivamente aceita.

Pense nisso. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais