Artigos do Prof. Marins e textos dos programas de TV

Precisa-se de um herói

precisa-se-de-um-heroi"Ninguém joga papel no lixo, simplesmente porque ninguém joga papel no lixo e se ninguém joga, não vou ser eu o único herói a jogar", me disse um funcionário de uma empresa, ao perguntar-lhe o porquê de ele próprio não ter jogado o papel de seu sanduíche no lixo.

 

Temos um problema sério no Brasil. As pessoas têm vergonha de ser "certinhas". As pessoas são levadas, pelo meio e pelos colegas e amigos, a fazer as coisas mal-feitas, pela metade, com baixo comprometimento. Temos vergonha de ser "heróis" e por isso acabamos vivendo em ambientes cada vez mais degradados e temos serviços cada vez mais de baixíssima qualidade. Parece mesmo que desenvolvemos uma cultura de que "é errado fazer o certo" -  vão nos chamar de "puxa-saco, lambe-botas, maçaneta", etc.

 

Precisa-se de um herói.  Estamos precisando de pessoas que façam bem feito. Que se importem. Que se comprometam com o certo, com o correto. Que tomem para si a responsabilidade de fazer. Que se preocupem com a qualidade do que fazem e também da do que os outros estão fazendo.

 

Essa atitude de ter vergonha de ser "herói"  precisa acabar. E precisa acabar já - "pelo bem de todos e pela felicidade geral da nação". Só assim sairemos deste verdadeiro subdesenvolvimento mental  que nos tem  atacado e feito tão mal a nós próprios e ao próprio Brasil.

 

Nesta semana, gostaria que você pensasse nisto. Perca a vergonha de ser "herói" e passe a comprometer-se cada vez mais com a melhoria da qualidade de vida de todos nós, fazendo o certo e tendo orgulho desse seu "heroísmo".

 

Pense nisso. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais