Artigos do Professor Marins e textos discutidos nos Programas de TV

Negócio da China?


 Estive no exterior, prestando consultoria a alguns clientes americanos e ingleses de nossos escritórios de Nova York e Londres que têm negócios e fábricas na China. Fiquei abismado ao ouvir os relatos sobre as operações chinesas dessas empresas. Elas estão entre "decepcionadas" e até "apavoradas" com as enormes dificuldades que vêm enfrentando com parceiros chineses. Todas elas estão pensando seriamente em diminuir e até retirar seus investimentos naquele país. Têm sido vítimas de chantagem, roubo, extorsão e outros problemas incríveis. Muitas estão apelando ao Departamento de Comércio dos EUA para tentar solucionar seus problemas. Os contratos não são respeitados. O sistema jurídico chinês é dominado por relações de influência local. As relações trabalhistas são complicadas e as empresas têm tido prejuízos incalculáveis e sentem-se impotentes para fazer valer os contratos firmados.

 Embora o mercado chinês seja um enorme atrativo, essas empresas estão até desconfiadas que os números do crescimento econômico estejam sendo manipulados pelas autoridades para atrair investimentos externos. A verdade é que a China é extremamente campesina com aproximadamente 73% da população em zonas rurais de baixíssimo desenvolvimento. E a verdade é que as empresas não têm falado muito de suas dificuldades na China por medo de retaliações locais ainda maiores, disse-me um  executivo alemão.

 Decepcionadas com suas operações na China essas empresas voltam-se para o Brasil com ainda maior interesse. "- Frente aos problemas que temos enfrentado na China, nossas operações no Brasil são um verdadeiro paraíso" afirmou o presidente de uma grande empresa inglesa. "- Vamos nos concentrar no Brasil e na América Latina onde compreendemos melhor o mercado e temos grandes oportunidades",  disse-me outro executivo de uma empresa americana. "- Investir seriamente na China é coisa para daqui a 20 anos",  ponderou um executivo de um fundo de investimentos presente a uma das reuniões.

 Essa é uma das razões pelo grande interesse dos investidores externos no Brasil. A estabilidade econômica e política e o mercado "pronto" que temos, sem dúvida, nos faz hoje a "bola da vez". E nós, empresas brasileiras, temos que estar preparadas para esse aumento de competitividade dentro de nosso próprio território.

 Pense nisso. Boa Semana. Sucesso! 

 

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais