Artigos do Professor Marins e textos discutidos nos Programas de TV

Sua empresa na passarela do samba

  • Imprimir

 

 Veja abaixo, como os jurados julgam as escolas de samba. Vamos pensar em nossa empresa como uma escola. Qual nota teríamos?
ALEGORIAS E ADEREÇOS - “As alegorias são os carros ou tripés que vão contando o enredo com destaques sobre elas.  Quanto mais efeitos visuais, mais extasiado fica o público. Mas o júri não está preocupado em promover espetáculo hollywoodiano. Ele preocupa-se em dar notas de 03 a 06 na realização dessas alegorias, de como os carnavalescos criaram formas originais para adequar o enredo à beleza desses carros”. Como são as instalações de nossa empresa? Nossa frota é bem cuidada, limpa? E as nossas filiais?
BATERIA -  “É o coração da escola, uma verdadeira orquestra de percussão. Aquela que levantar a galera, unindo criatividade e técnica, obterá vantagem sobre as outras”. Nossa diretoria, gerentes e dirigentes em geral empolgam a nossa empresa com uma visão clara, objetivos e metas?
COMISSÃO DE FRENTE -  “A Comissão de Frente é o cartão de visitas da escola e requer um esmero especial”. Como é a nossa recepção, o SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente), etc.?
CONJUNTO - “É a visão geral do desfile. Eles precisam estar atentos para a unidade da Escola, tanto para a musical quanto para a dramática e a visual, e como a escola se apresenta na sua totalidade, com alegria, com os carros bem integrados ao enredo, com a história bem contada. Os jurados têm de estar atentos para os detalhes que vão formar o todo, desde as cores das fantasias, sua funcionalidade para contar o enredo, a originalidade, o samba bem cantado, a bateria afinada e a empolgação da escola”. Como nossa empresa é vista como um todo. Ela passa visão de conjunto?
ENREDO - “A tarefa de um juiz de enredo é basicamente observar a idéia do enredo, a criação artística desse enredo que vai contar uma história ao longo da passarela. Para essa concepção o jurado dá notas de 02 a 04 atentando para a originalidade, a criatividade e basicamente o roteiro, já que ele define a forma do enredo, o encadeamento das partes, o entrosamento das alas, sua seqüência e sua lógica interna. O importante é que o enredo se desenrole de maneira fácil, fluída, que todos possam compreender sem maiores complicações e subentendidos”. O nosso foco, nossas crenças e valores, nossa missão, nossos objetivos e metas são claramente passadas ao público interno e externo?
EVOLUÇÃO - “Neste quesito a empolgação do componente é fundamental. O item Movimentação dos desfilantes tem notas de 03 a 06 que vai julgar o andamento da dança, no ritmo do samba, de acordo com a cadência imposta pela Bateria. Os componentes vão ter de mostrar sua empolgação, a vibração, a espontaneidade e o vigor. Já no item coesão do desfile as notas vão de 02 a 04 e o que prevalece é naturalmente a coesão do desfile, que se evite os buracos entre uma ala e outra a não ser os espaços deixados propositadamente para as alas de passo marcado pôr exemplo, ou o espaço exigido para a evolução do mestre-sala e da porta-bandeira. Quanto mais compacta a escola, mais pontos ela obterá”. Como é o dia-a-dia em nossa empresa? As coisas ocorrem de acordo com o que a diretoria (bateria) pensa e acredita? Há coerência entre o discurso e a prática?
FANTASIAS - “As fantasias têm, pôr definição, explicar o enredo, mostrar a ação, esclarecer ao público a história que a escola está contando. E devem ser adequadas ao enredo. Por exemplo, uma escola que fale do descobrimento do Brasil não pode ter alas fantasiadas de personagens da Disneylândia ou a turma da Mônica ou ainda a Xuxa. Os acabamentos, os cuidados com a confecção e a uniformidade dos detalhes também são levados em conta”. Como nossa empresa se apresenta ao mercado? Tudo em nossa empresa é coerente com o nosso “enredo”?
HARMONIA - “Nesse quesito há subdivisão em dois itens; o da harmonia do canto (notas de 02 a 05) e harmonia do samba (notas de 03 a 05). A harmonia do canto é a constatação da perfeita igualdade do canto, da letra e melodia do samba pela totalidade dos componentes da escola. Caso uma escola ‘atravesse o samba’, quando uma parte da escola canta uma estrofe do samba e a outra entoa outra estrofe diferente, há perda substancial de pontos porque a harmonia do samba está desfeita. Os mestres de harmonia costumam ser os intrépidos sambistas que percorrem todas as alas preocupados o tempo todo em não deixar a escola atravessar. Com apitos e megafones, eles mantêm essa unidade que só faz aumentar a beleza dos desfiles”. Existe harmonia em nossa empresa? Todos cantam o mesmo samba ou todos atravessam o samba o tempo todo?
MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA - “O casal que desempenha este papel representa a escola na avenida, como símbolos da entidade, apresentando a bandeira da escola ao público. Qualquer tropeço ou um movimento inadequado (como deixar a bandeira bater no mestre-sala) de acordo com as rígidas regras pode fazer a escola perder pontos”. Os nossos dirigentes nos representam dignamente no mercado?
SAMBA-ENREDO - “O samba-enredo, como o próprio nome diz, tem de absorver o enredo proposto pela escola, procurando não fugir dele. A simplicidade pode ser a chave. O uso de refrões fortes e a conseqüente lembrança pelo público, que cante junto durante o desfile, são pontos fundamentais na hora da votação”. Temos uma marca forte no mercado a ponto de todo o mercado “cantar” o nosso samba-enredo?
 Qual nota você daríamos para a nossa “escola de samba”? Pense nisso. Sucesso! Feliz Carnaval!!!

 

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn